• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias23/09/2021

Sem acordo, comissão da reforma adia votação de relatório para esta quinta-feira

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo23/09/21 - 08h30min

Depois de uma interrupção de quase uma hora na quarta-feira em busca de um acordo, a comissão especial da reforma administrativa na Câmara dos Deputados adiou para esta quinta-feira a votação da PEC que muda as regras do RH do Estado brasileiro. A nova sessão deve começar às 9 horas.

A oposição ameaçou ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) para cancelar a reunião porque o relatório foi entregue depois do prazo combinado, e o relator, deputado Arthur Maia (DEM-BA), fez mudanças no texto depois que 26 destaques já haviam sido apresentados pelos deputados.

Em busca de um acordo para a votação ou a leitura do relatório, os membros da comissão interromperam a sessão por quase uma hora. Logo após a retomada, porém, os trabalhos foram encerrados.

O texto precisa passar pelo colegiado antes de seguir ao plenário da Câmara, onde tem de ser aprovado em dois turnos por 308 deputados ou mais antes de ir para o Senado.

Como mostrou o Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), Maia retomou no relatório a possibilidade de redução em até 25% de jornadas e salários de servidores públicos, com a ressalva de que a medida só poderá ser adotada em cenário de crise fiscal, em alternativa ao desligamento de servidores.

A redução de jornada havia sido revogada totalmente na versão anterior do texto, que incluiu ainda outros benefícios para categorias policiais, o que gerou críticas e levou o relatório a ser chamado de "antirreforma".

O relator atendeu ainda a uma demanda da oposição e excluiu artigo que permitia aos governos federal, estaduais e municipais a realização de parcerias com a iniciativa privada para a realização de serviços públicos.

Maia também retirou a previsão de foro privilegiado para delegado-geral da Polícia Federal, e a transferência da PF para a competência do Judiciário, entre outros pontos.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
Comissão Especial