Finanças

Sicredi libera mais de R$ 12 bilhões em crédito rural no Plano Safra 2019/20

Crédito: Reprodução / Facebook

O valor representa um crescimento de 12,3% nos recursos concedidos em relação ao ano-safra anterior (Crédito: Reprodução / Facebook)

O Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) disponibilizou R$ 12 bilhões em mais de 131 mil operações de crédito rural para os associados no primeiro semestre do Plano Safra 2019/20. O volume é o maior valor liberado entre as instituições privadas que atuaram de julho a dezembro de 2019, no segmento, segundo dados do Banco Central (BC).

Considerando todas as instituições financeiras que participam do Plano Safra, o Sicredi foi o segundo maior agente liberador, atrás do Banco do Brasil. Para esta safra, a cooperativa estima viabilizar mais de R$ 20,1 bilhões em crédito rural, em 220 mil operações.

+ Contratação de crédito rural de julho de 2019 a janeiro soma R$ 116,7 bi (+8%)
+ Crédito Rural: BNDES destina R$ 1,5 bi para investimento e aquisição de máquinas
+ Abimaq: recursos para financiamentos do Moderfrota vão encerrar em fevereiro

O valor representa um crescimento de 12,3% nos recursos concedidos em relação ao ano-safra anterior, quando foram disponibilizados R$ 17,9 bilhões em 190 mil operações.

Do montante para o ciclo atual, a expectativa é conceder R$ 17,5 bilhões em operações de custeio, comercialização e investimento, além de R$ 2,6 bilhões com recursos direcionados, oriundos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Na colocação geral do BNDES, que leva em conta os desembolsos ao longo do ano de 2019, o Sicredi é o segundo, com R$ 2,9 bilhões em 30 mil operações.

Já nos repasses dos programas agrícolas, a instituição está na primeira posição entre as que liberaram crédito pelo Inovagro, do BNDES. A linha de financiamento é direcionada para incorporação de inovações tecnológicas nas propriedades rurais.

Nas linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Moderagro, para projetos de modernização e expansão da produtividade nos setores agropecuários, e para ações voltadas à recuperação do solo e à defesa animal, a instituição ocupa a segunda colocação dos maiores desembolsos em 2019.