O Campo Digital

Solinftec inaugura escritório nos Estados Unidos, no Purdue Research Park, em Indianápolis

Crédito: Divulgação

“O mercado de IoT na agricultura foi de US$ 4,4 bilhões em 2015 e terá um crescimento anual de 28,30% até 2024” Britaldo Hernandez Fernandez, presidente da Solinftec, empresa de agricultura digital (Crédito: Divulgação)

A Solinftec, empresa líder em Agricultura Digital no Brasil que cresceu rapidamente na América Latina tornando lavouras de cana de açúcar e outras plantações mais eficientes, anunciou, durante a Agbioscience Innovation Summit, evento realizado pela AgriNovus Indiana, que irá abrir uma operação nos Estados Unidos na Purdue University, em Indianápolis.

“Nosso time tem paixão por desenvolver soluções inovadoras que combinam ciência e engenharia para entregar soluções que gerem resultados mensuráveis aos produtores”, disse Daniel Padrão, COO da Solinftec. “É por isso que estamos entusiasmados com a oportunidade de trabalhar com uma renomada universidade de pesquisa como a Purdue e sua Faculdade de Agricultura para expandirmos nossas plataformas para novos mercados internacionais”, acrescenta.

A Solinftec construiu sua reputação criando plataformas de Internet das Coisas (IoT) para integrar pessoas, máquinas, clima e agronomia e digitalizar todos os aspectos das operações agrícolas. A empresa oferece tecnologia para monitorar todos os processos nas fazendas e fornece insights ​​em tempo real que aumentam o retorno em cada hectare plantado.

A empresa desenvolveu a primeira assistente virtual da agricultura, a robô chamada “Alice”, que tem a missão de conversar com o produtor para ajudá-lo nas principais decisões do dia a dia. A Alice utiliza dados para solucionar perguntas difíceis que antes eram respondidas apenas através do instinto do produtor sobre a análise de um conjunto impreciso e incompleto de informações.

“Uma forte colaboração com a Purdue University é prova do crescimento e do sucesso da Solinftec e da pesquisa de ponta realizada na Purdue e em sua Faculdade de Agricultura”, assinala o Presidente da Purdue University, Mitch Daniels. “Essa colaboração beneficiará o avanço tecnológico da pesquisa agrícola e, mais importante, produzirá tecnologias e processos significativos para alimentar a crescente população mundial”, completa.

Indiana é um dos principais centros de agronegócio dos Estados Unidos. A agricultura contribui com cerca de US$ 31,2 bilhões para o Produto Interno Bruto do Estado por ano e gera cerca de 107,5 mil postos de trabalho apoiados pela produção agrícola em mais de 6 milhões de hectares de fazendas. Indiana também é um dos principais produtores de milho, soja e derivados do tomate, áreas nas quais a Solinftec planeja se expandir.

Padrão reforça que um fator determinante na mudança para Indiana foi estar perto da Purdue e sua Faculdade de Agricultura, classificada como a oitava melhor do mundo, e de seu Departamento de Engenharia Agrícola e Biológica, considerado o melhor nos Estados Unidos.

“O Meio-Oeste dos EUA é fundamental para nossa estratégia e reconhecemos sua importância no ecossistema global de alimentos e agricultura. Estamos empolgados em lançar nossa sede em Indiana. Agradecemos ao governo estadual, a Agrinovus, a Purdue University e a Tom Farms por sua visão em apoiar esta iniciativa e por sua hospitalidade”, diz Renato Hersz, diretor de estratégia e desenvolvimento corporativo da Solinftec.

As soluções da Solinftec suportam mais de 6 milhões de hectares de operações agrícolas, interagem em tempo real com 20 mil equipamentos online e prove insights para mais de 100 mil usuários diariamente. Entre as 10 maiores empresas do setor sucroalcooleiro, oito são clientes da empresa, e entre os cinco maiores produtores de grãos e fibras três também usam sua tecnologia.

A empresa atende grandes produtores internacionais, como a Raízen, que possui mais de 3 mil equipamentos monitorados, o maior sistema de telemetria do mundo. Entre outras empresas internacionais atendidas pela Solinftec estão Tereos, Cofco e British Petroleum, todas no ramo de cana de açúcar, além da Amaggi, Bom Futuro e Terra Santa, produtores de outras culturas.

A Solinftec está trabalhando em parcerias comerciais e tecnológicas relevantes com fabricantes de equipamentos originais e cooperativas que serão anunciadas em breve para atender o agricultor americano.

Como a universidade possui concessão de terras em Indiana, a Purdue tem escritórios em todos os 92 condados do Estado para auxiliar agricultores e produtores, além de conduzir pesquisas agrícolas de renome mundial que atendem os Estados Unidos e a sociedade global. Sua Faculdade de Agricultura também tem três ganhadores do Prêmio Mundial da Alimentação entre os seus professores e um distinto ex-aluno vencedor do Prêmio Mundial da Alimentação.

“Prevemos que a decisão da Solinftec de abrir seu escritório em Indiana irá gerar inúmeras oportunidades para produtores e pesquisadores”, afirma Beth Bechdol, presidente e CEO da AgriNovus Indiana, organização que promove o crescimento da agrobiociência em todo Meio-Oeste americano.

A colaboração com a Solinftec se alinha com os “Giant Leaps” de Purdue, que celebram avanços globais da universidade em saúde, espaço, inteligência artificial e sustentabilidade e integram as comemorações do 150º aniversário da universidade. Esses são os quatro temas que compõem o Ideas Festival realizado ao longo do ano para apresentar a Purdue como um centro intelectual que resolve problemas do mundo.