• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias05/11/2021

SP: Nunes diz que reajuste da tarifa de ônibus será decidida com prefeitos

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo05/11/21 - 13h06min

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), declarou nesta sexta-feira (5) que apesar de o governo do Estado já estudar um reajuste na tarifa do transporte público, ainda não há nada definido sobre o tema. O prefeito ressaltou que uma decisão sobre um possível aumento será tomada entre as prefeituras da região metropolitana e declarou que aguarda subsídio do governo federal.

O prefeito disse que é "natural" que se discuta a questão tarifária no último trimestre e pontuou que pesa para o tema o aumento no preço do diesel ao longo do último ano. "Com 65,2% de aumento no diesel, não tem como, a gente tem que ter essa transparência, dizer que isso não vai refletir no custo do transporte", disse, em entrevista coletiva.

Sobre a necessidade de um subsídio do governo federal, Nunes reiterou que a união dos prefeitos nacionais tem uma demanda junto ao governo federal há muito tempo. "Isso tem sido discutido há muito tempo, para o governo federal ajudar com o subsídio do transporte coletivo, porque quando você faz subsídio do transporte coletivo é uma política pública muito importante", disse.

Nunes participou de entrevista coletiva na manhã desta sexta, durante inauguração da estação João Dias da linha 9-Esmeralda da CPTM.

Exoneração

Contra a indicação do Ministério do Trabalho, Nunes afirmou que "não vai recuar" e que a capital vai manter as demissões por justa causa de servidores não vacinados contra a covid-19. De acordo com o prefeito, essa é uma medida para reforçar a importância da imunização à população.

Em sua avaliação, a atitude do ministério foi "deselegante, inclusive, chata, porque todo mundo está indo na linha de defender a vida, de valorizar a vacina, e acaba que vem uma portaria dessa e incentiva o contrário". Segundo ele, a Prefeitura só irá reverter sua posição a partir de uma decisão judicial. "Decisão judicial se cumpre", pontuou.

Na terça-feira (2), o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, editou uma portaria para proibir os empregadores de exigirem o certificado de vacinação de seus funcionários ou de impor o documento como obrigatório nos processos de seleção para contratação de pessoal.

Pela portaria, as empresas também não poderão demitir por justa causa aquelas pessoas que se recusarem a apresentar o cartão da vacina. Se o fizerem, terão de reintegrar ou ressarcir os demitidos. Na quinta-feira (4), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu a portaria e classificou como "drástico" o movimento que exige a obrigatoriedade do esquema vacinal completo para manutenção dos empregos.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
aumento