Economia

Suínos/Cepea: preço da carcaça continua a subir e perde competitividade

Crédito: Governo Federal

O quilo da carcaça especial suína foi cotada por valor R$ 7,81 maior em relação ao quilo do frango inteiro resfriado, segundo o Cepea (Crédito: Governo Federal)

São Paulo, 11/11 – A carne suína continua a subir de preço e a perder competitividade em relação à carne de frango, informa o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq-USP), em relatório antecipado ao Broadcast Agro. O quilo da carcaça especial suína foi cotada por valor R$ 7,81 maior em relação ao quilo do frango inteiro resfriado, considerando-se produtos comercializados no atacado da Grande São Paulo, informa o centro de estudos. Este preço considera a média dos dez primeiros dias de novembro.

“A diferença, além de ser a maior na série histórica real do Cepea, iniciada em 2004, é 17,2% acima da média observada em outubro”, informa o relatório.

+ Cepea: preços de suínos vivos seguem em alta na 1ª quinzena de outubro
+ Suínos e aves/Embrapa: custo de produção tem forte alta em agosto ante julho

Já na comparação com a carcaça bovina, a diferença entre as carcaças segue com pouca alteração desde setembro, evidenciando a influência do mercado da carne bovina sobre a proteína suína. A alta nos preços da carne bovina permite que o setor suinícola também eleve seus preços.

Na média da parcial deste mês, a carcaça casada bovina esteve R$ 4,78/kg acima da carcaça especial suína, também negociada no atacado da Grande São Paulo, sendo apenas 0,7% maior que a diferença registrada em outubro.

Dentre as três proteínas, a carcaça especial suína teve a maior valorização no período. Na média parcial de novembro, o produto foi cotado a R$ 13,93/kg, alta de 10,5% frente à do mês anterior e recorde real da série histórica do Cepea.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro