Notícias

Taxas curtas e juros médios recuam após Copom e longas têm viés de alta

Os juros futuros curtos e médios recuam na manhã desta quinta-feira, 6, após o Comitê de Política Monetária (Copom) deixar a aberta a porta para um eventual corte da Selic em setembro, embora vários economistas apostem em manutenção da taxa este ano e em níveis baixos por muito tempo. Os longos, por sua vez, têm viés de alta em dia de leilão do Tesouro (11 horas).

Pouco antes do fechamento deste texto, as taxas renovavam máximas, em meio ao dólar forte ante o real e cautela no exterior.

Às 10h25, o DI para janeiro de 2021 estava em 1,870%, de 1,953% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2022 exibia 2,63%, de 2,77%, enquanto o para janeiro de 2023 marcava taxa de 3,71%, de 3,81% no ajuste anterior. Na ponta longa, o DI para janeiro de 2027 estava em 6,28%, de 6,27% ontem no ajuste.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro

Tópicos

taxas de juros