Negócios

Terra Santa reduz prejuízo líquido para R$ 15,10 milhões no 3º tri

Crédito: Reprodução/Terra Santa

O Ebitda ajustado do terceiro trimestre somou R$ 63,96 milhões, um aumento de 88,1% sobre igual período de ano anteiror da empresa (Crédito: Reprodução/Terra Santa )

São Paulo, 13 – A companhia Terra Santa Agro, voltada à produção de grãos e fibras, encerrou o terceiro trimestre de 2020 com prejuízo líquido de R$ 15,10 milhões. Em igual período do ano passado, a companhia havia tido prejuízo de R$ 53,34 milhões. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado do terceiro trimestre somou R$ 63,96 milhões, um aumento de 88,1% sobre igual período de 2019. A receita líquida no período somou R$ 265,65 milhões, um avanço de 69,9% na comparação anual.

“O aumento de preços em reais registrado ao longo do ano e a maior produtividade refletiram na melhora do resultado”, disse a empresa, em comunicado de apresentação dos resultados. O resultado líquido do terceiro trimestre, segundo a Terra Santa, foi influenciado positivamente pelo lucro operacional de R$ 100,7 milhões no período, mas negativamente pela provisão de contingências tributárias/trabalhistas no valor de R$ 16,8 milhões, pelo resultado financeiro negativo de R$ 90,4 milhões e por impostos diferidos no valor de R$ 8,6 milhões.

+ Terra Santa encerra colheita de milho de algodão da safra 2019/20
+ Terra Santa Agro reverte lucro e tem prejuízo de R$ 72,64 mi no 4º tri

Para a safra 2020/21, a empresa informou que todos os insumos da soja foram adquiridos, e a expectativa é de semeadura em 59 mil hectares, “inferior à intenção inicial de plantio, devido, principalmente, ao atraso nas chuvas”. A produtividade estimada é de 61,2 sacas por hectare. Ainda conforme a Terra Santa, 100% da produção esperada da próxima safra já foi negociada a preços nos mesmos níveis de 2019/20 (média de US$ 16,14 a saca de 60 quilos).

A intenção de plantio de algodão em 2020/21 é de cerca de 39 mil hectares. Segundo a empresa, 86% do volume da próxima safra já foi comercializado, a um preço médio (FOB Fazenda) de 60,11 centavos de dólar por libra-peso, comparado a 64,09 centavos de dólar por libra-peso na safra 2019/20. “Essa queda no preço se deve à variação nos preços do algodão no mercado internacional e ao momento da tomada de decisão de venda que sempre é avaliada em conjunto com o preço dos insumos e da taxa de câmbio.”

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro