Hippus

Uruguaia resistente

Crédito: Divulgação

A prova Marcha da Integração, promo­vi­da em julho pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, em Alegrete (RS), contou com uma campeã inusitada, a égua uruguaia Caprichosa Del Metejon. Dos 36 cavalos da raça crioulo inscritos, Caprichosa era o único animal de fora do País. Com 16 anos, a modalidade é uma das mais tradicionais da entidade e a mais dura de todas. Nela são percorridos 750 quilômetros em 15 dias, ou 50 quilômetros por dia. Além da resistência física, a prova também avalia a rusticidade e a capa­ci­dade de recuperação dos animais.

Estreia campeã

O cavaleiro Eduardo Menezes, integrante do time brasileiro de hipismo nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, venceu a primeira prova de salto na CHIO Aachen, na Alemanha, realizada no final de julho. Em sua estreia em Aachen, o cavaleiro montado em Carushka 2 superou fortes concorrentes como o medalhista olímpico alemão Marcus Ehning. Criada em 1898, a competição é uma das mais tradicionais no calendário do hipismo mundial.

Mercado bem aquecido

Divulgação

Realizado em Avaré (SP) no final de julho, o 40º Campeo­na­to Nacional surpreendeu a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha. O evento, um dos principais da entidade no ano, movimentou R$ 42 milhões em premiação e negócios, 20% a mais que no ano passado. Um pouco mais da metade disso, R$ 22 milhões, veio dos dez leilões na programação do evento, com a venda de cerca de 400 animais e 120 coberturas.

Regras para provas equestres

Allan DaMasceno

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou em julho o projeto que prevê regras para os esportes equestres como a vaquejada, o laço e o rodeio. O texto foi aprovado em caráter terminativo pela comissão e segue para a análise da Câmara. Pela proposta serão redigidos regulamentos específicos para cada esporte, assegurando o bem-estar animal e prevendo punições em caso de descumprimento.

Cânter

O cavalo castrado sempre foi o centro das atenções em provas e na lida da fazenda. Agora a As­sociação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) quer estimular um mercado próprio para esse animal, segundo Eduardo Azevedo, vice-presidente da ABCCC. Em julho, a entidade promoveu a primeira Expo­si­ção de Cavalos Castrados em Esteio (RS).

Divulgação

Qual a importância desse animal?
Este cavalo é um animal de serviço. Os criadores mais antigos o castram para servir-lhes de sela. Além disso, são esses animais que são usados nas provas esportivas. Então, é um cavalo muito utilizado, só não tinha uma exposição.

O que foi apresentado no evento?
Foram apresentadas provas de morfologia e funcionais com os cavalos. Mostramos como o animal é manso e dócil, ou seja, ótimo para o esporte.

Qual a avaliação do evento?
A exposição foi bem avaliada, pois foi um momento onde se conseguiu reuniu desde crianças até adultos em torno do cavalo crioulo.

Qual o próximo passo?
A ideia é estimular o mercado para este animal, realizando leilões conforme cresça a demanda.