Tecnologia

Vaca na sombra produz 22% mais leite e com melhor qualidade

Crédito: Divulgação

Para a Embrapa, a integração de árvores na áreas de pastagem se mostra cada vez mais uma alternativa sustentável de produção agrícola e cresce no Brasil cerca de 10% ao ano (Crédito: Divulgação)

Um experimento da Embrapa Cerrados colocou vacas em áreas com sombra de eucalipto por um período de 33 meses. O resultado foi um aumento da produção de leite desses animais de 22%. Além disso, o produto apresentou bem mais qualidade em relação aos demais animais não testados.

As vacas Gir Leiteiro, que participaram do projeto de pesquisa, provaram a importância de oferecer aos animais condições confortáveis para o bom desempenho reprodutivo, destaca a Embrapa, por meio de nota.

+ Conta no Twitter publica fotos de vacas todos os dias
+ Resto de cerveja faz vaca arrotar menos gases de efeito estufa, afirmam pesquisadores
+ Coronavírus espanta turistas e macacos invadem as ruas atrás de comida na Tailândia 

O leite dos animais que estavam vivendo na sombra apresentou 6% a mais de extrato seco desengordurado, que é o extrato seco total menos o teor de gordura. Esta característica é muito valorizada pelos laticínios.

A temperatura corporal média dos animais também apresentou um recuo durante o estudo, de 3%. Segundo o Centro de Tecnologia de Raças Zebuínas Leiteiras (CTZL), parceiro da Embrapa, em dias quentes os animais têm estresse por calor, o que compromete a produção e a composição do leite.

Além disso, de acordo com o CTZL, quanto mais calor, mair o comprometimento da reprodução das vacas e do comportamento ingestivo, formado pela ingestão, ruminação e repouso.

Outro resultado específico sobre os animais foi a produção quatro vezes maior de embriões em comparação com as bovinas que estavam no sol.

Para a Embrapa, a integração de árvores na áreas de pastagem se mostra cada vez mais uma alternativa sustentável de produção agrícola e cresce no Brasil cerca de 10% ao ano.