• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Estilo no Campo22/02/2022

Veloz e furiosa

Flávio Silveira
Texto por:Flávio Silveira22/02/22 - 14h50min

Ela é vendida pela montadora como “muscle truck” — uma alusão direta ao termo “muscle car” (em português, carro musculoso), criado nos Estados Unidos para definir modelos como o Ford Mustang, o Chevrolet Camaro ou o Dodge Challenger — que, por sinal, era equipado com o mesmo motor Hemi 5.7 V8 a gasolina que faz essa picape da Dodge voar baixo. Capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos (mesmo pesando mais de 2,6 toneladas), é um gigante: 6 metros de comprimento, 2,1 m de largura e 2 m de altura. Pode não caber na garagem da maioria dos prédios, mas faz bonito no off-road. O visual é invocado. E, se impressiona por fora, basta fechar a porta, ligar o som Harman Kardon (com 19 alto-falantes, 1.900 W e cancelamento de ruídos), e espiar no retrovisor interno via câmera para ver como os carros comuns ficam minúsculos lá atrás. A sensação de poder é imediata.

Com medidas tão generosas, na cidade grande a RAM 1500 é um “trambolho”. Exige muito cuidado, pois a tendência é invadir a faixa vizinha. Aí, as câmeras 360º ajudam a evitar acidentes. Por outro lado, ela compensa com uma sensação de superioridade ao volante absurda. É ainda macia e confortável — desde que você dose o pé direito para dirigir suavemente, sem respostas brutas. Obviamente, o consumo não deve ser preocupação para quem compra uma picape com motor V8 de 400 cavalos. Dirigindo tranquilamente, e mesmo com o sistema que desativa metade dos 8 cilindros quando possível, a média é de 4,5 km por litro no trânsito. Partindo para a estrada, o porte deixa de ser problema, e a RAM 1500 acelera como se fosse menor e mais leve. A 120 km/h, o conta-giros fica um pouco abaixo de 2000 RPM, mas o consumo ainda assusta: 6,6 km/l.

ESPAÇO DE SOBRA

Legítimo carro de luxo com pegada off-road, a picapona usa amortecedores Bilstein adaptativos e oferece tração 4x4, reduzida, auxílio em descidas, bloqueio do diferencial traseiro e suspensão elevada (24,9 cm do solo). O acerto geral a torna extremamente confortável na terra, onde “pula” muito pouco — e, mesmo sem acionar o 4x4, tem comportamento exemplar, com a eletrônica atuando de modo bem discreto para manter o motorista na estrada. Parece até que ela nem é tão grande.

TELA DUPLA Por falar em eletrônica, há ajuste elétrico para quase tudo, do teto panorâmico aos bancos, passando pela abertura do vidro da janelinha traseira e até mesmo a altura dos pedais (o volante tem ajuste manual).
Proporcional ao imenso espaço interno, a tela central é tão grande que se divide em dois setores, permitindo controlar mais de uma função do carro ao mesmo tempo. Por exemplo, o ar-condicionado e o áudio, de modo independente. Caso prefira, há botões físicos para os ajustes. Já o quadro de instrumentos tem velocímetro, conta-giros e marcador de combustível analógicos, ainda que, entre eles, caiba uma telona digital cheia de funções e bem fácil de navegar. Há ainda o ACC (piloto automático adaptativo, que controla a velocidade de acordo com o tráfego à frente) e auxílio de manutenção em faixa.

A suspensão elevada garante conforto e muita capacidade no fora de estrada, mas acaba sacrificando um pouco a dinâmica. Bem melhor em linha reta do que em curvas, é bastante pesada. Na pista molhada, a coisa complica: pisando fundo, a traseira quer escapar, a eletrônica logo “trava tudo” para ajudar. Um tanto frustrante ter todo esse poder e não poder usá-lo sempre. A direção um pouco lenta também não ajuda. Mas, se você quer uma versão ainda mais esportiva, no vi-sual e na dirigibilidade, sua escolha pode ser a TRX (não trazida oficialmente ao Brasil, mas que pode ser importada dos EUA de modo independente). O motor V8 dela é maior, de 6,2 litros, com compressor usado no Dodge Challenger Hellcat, garantindo uma absurda potência de 712 cv e 881 Nm de torque. A aceleração até os 100 km/h é feita em menos de 4 segundos. Se for importar uma, prepare-se, depois de todos os impostos, ela chega aqui por quase R$ 1 milhão.

Silverado elétrica

A GM apresentou nos Estados Unidos, no dia 5 de janeiro, a primeira Silverado totalmente elétrica. O modelo utiliza a plataforma Ultium para oferecer uma combinação inovadora de capacidade, desempenho e versatilidade, junto com tecnologias avançadas que acompanharão o veículo ao longo do tempo. Segundo o vice-presidente da Chevrolet, Steve Hill, a montadora “revolucionou a Silverado diversas vezes para torná-la o sucesso que é hoje”. No primeiro momento, a Silverado EV estará disponível em duas configurações, a RST First Edition e a WT, voltada para frotistas. Ambas virão equipadas com um abrangente pacote de tecnologias de segurança. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais