Geral

Vinho da Campanha Gaúcha conquista Indicação Geográfica

Crédito: Dandy Marchetti / Embrapa / Divulgação

A Indicação Geográfica foi concedida na modalidade Indicação de Procedência (Crédito: Dandy Marchetti / Embrapa / Divulgação)

Os produtores de vinhos e espumantes da região da Campanha Gaúcha, no Rio Grande do Sul, conquistaram a Indicação Geográfica (IG). O selo atesta a origem das bebidas. Solicitada pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos da Campanha ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), a IG foi concedida na modalidade Indicação de Procedência (IP).

O selo garante que o vinho daquela garrafa tem as características da região na qual foi produzido. A bebida deve seguir uma rigorosa fase de produção de uvas na área delimitada, e uma elaboração com os requisitos estabelecidos no Caderno de Especificações Técnicas.

+ Como cultivar uva rosada, bordô ou sem sementes em casa?
+ Como vender os seus produtos agrícolas pela internet?
+ Norma amplia controle sobre produção e importação de bebidas e vinhos

O documento define desde as variedades de uva autorizadas para a elaboração dos vinhos, até a etapa de sua degustação. Nesta fase, um painel de especialistas avalia se o vinho pode receber a atestação de conformidade como produto da Indicação de Procedência Campanha Gaúcha.

A certificação é resultado de um processo que envolveu cerca de cinco anos de pesquisas sobre a região. O estudo, conduzido pelo Embrapa Uva e Vinho, gerou um dossiê que inclui elementos científicos e técnicos do método.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Jorge Tonietto, por estar localizado nos Pampas, a produção da Campanha Gaúcha tem características únicas. É a região produtora mais quente e com menor volume de chuvas do Sul do Brasil. As grandes extensões de áreas planas ou de baixa declividade também são um diferencial para a plantação.

O presidente da Associação dos Produtores de Vinhos Finos da Campanha Gaúcha, Clori Peruzzo, explica que a região conta com 17 vinícolas e que a expectativa dos produtores é que esse reconhecimento chame a atenção dos consumidores. Para Peruzzo, aqueles que gostam de vinho têm buscados experiências para o momento de consumo, como visitar a região e o parreiral no qual a uva foi cultivada.

Veja também

+ Restaurante japonês que fez festa de swing lança prato chamado “suruba”
+ Cantor Ovelha abre frangaria em São Paulo com a ajuda de Ratinho
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mineral de Marte raro na Terra é achado na Antártida
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Atriz pornô é demitida de restaurante por causa de “cliente cristão”
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?